Criarumemail.com/

Acervo

 
Confesso que gosto de livros que tem Aprendizes e vamos acompanhando todo o desenvolvimento deles conforme o livro, e apesar de está tentando evitar sagas incompletas, essa já vinha chamando atenção a bastante tempo. (deve ser por está incompleta, elas me chamam!!)



"Precisamos daqueles que nos amam. Precisamos daqueles que nos odeiam. Precisamos que os outros nos liguem à vida, que nos deem uma razão para viver, para sentir.”


O blog Clube do Farol deseja a toda a comunidade LGBT força e resistência em sua luta contra todo tipo de fobia. Entendemos que é inadmissível que, em pleno século XXI, Direitos básicos ainda sejam desrespeitados.


“Gostaria de dar uma sugestão a vocês. Na maioria das vezes, as pessoas que descobrem como os espíritos são acabam gostando de conviver com eles. Elas não querem que eles se percam ou que partam. Mas neste caso acredito que a casa deva ser purificada ou exorcizada.”
Por Jéssica Burgos

Creio que muitos de você já ouviram falar sobre a famosa casa mal-assombrada de Amityville e, talvez, tenham visto uma de suas várias adaptações cinematográficas (confira a lista ao final da postagem). Já havia procurado este livro para comprar anteriormente, mas não o encontrava por nada, então quando a Darkside Books anunciou a publicação eu fiquei muito feliz.

George e Kathleen Lutz eram um casal feliz, tinham três filhos e desejavam uma casa maior, enquanto procuravam a casa dos sonhos, um anúncio chamou a atenção: uma casa enorme com um preço bem abaixo do valor de mercado. Os Lutz entraram em contato com a corretora e agendaram a visita. A casa localizada no número 112 da Ocean Avenue em Amityville, satisfazia todos os desejos do casal, George quis saber o motivo da casa possuir um valor tão baixo, e a corretora o informou que ela havia sido o palco de um assassinato, o casal conversou e não sendo superticiosos, fecharam a compra da casa dos sonhos.

Na noite de 13 de novembro de 1974, por volta das 03:00h, Ronald DeFeo Jr. assassina seu pai, mãe e quatro irmãos com tiros de carabina, todas as vítimas estavam curiosamente dormindo de bruços e os disparos não foram ouvidos pelos vizinhos. Ronald foi preso e condenado e, segundo registros, ainda está cumprindo a pena nos Estados Unidos.
“A história trágica do número 112 da Ocean Avenue não fazia diferença para George, Kathy ou para os três filhos do casal: aquela continuava sendo a casa de seus sonhos.”
No dia 18 de dezembro de 1975 os Lutz fazem a mudança para sua nova casa e, para evitar quaisquer tipo de problemas espirituais, chamam o Padre Frank Mancuso, que era de sua confiança, para realizar uma benção em seu lar. Assim que chegou à casa, o Padre sentiu uma “sensação ruim”, assim que aspergiu as primeiras gotas de água benta e iniciou os gestos para o ritual  pode ouvir uma voz masculina dizer com terrível clareza “Saia daqui!”.

Desde então, a vida do casal passa a ser marcada por acontecimentos um tanto quanto bizarros como: George sentia muito frio, mesmo o termostato marcando sempre 26ºC; eles ouviam vozes e passos; por vezes sentiam cheiro de perfume ou odores muito intensos; os membros da família sofriam alterações bruscas de humor, entre outros fenômenos.
“Quando observou a imagem, seus olhos se arregalaram de terror. Estava sentindo ânsia de vômito por causa do cheiro podre, mas não conseguia desgrudar os olhos do crucifixo – agora pendurado de cabeça para baixo!”
Narrado de forma linear e objetiva, Jay Anson descreve com riqueza de detalhes o que aconteceu com o casal Lutz e seus filhos durante os 28 dias que eles passaram na casa número 112 na Ocean Avenue, além disso também há relatos do Padre Mancuso e as provações que ele sofreu durante o período. A família Lutz abandonou a casa após os 28 dias, deixando para trás todos os seus pertences pessoais, móveis, eletrodomésticos e utensílios e não retornou para buscá-los.
“Aquela trilha não tinha sido deixada nem por um homem, nem por mulher. As pegadas foram feitas por cascos fendidos – como os de um porco enorme.”
Acreditar ou não na história de Amityville pode alterar drasticamente sua experiência de leitura, por se tratar de uma história envolvendo o sobrenatural existe muito ceticismo sobre o que é real ou não, além de todas as teorias conspiratórias que surgiram ao longo dos anos.

Aos fãs de terror regados a elementos sobrenaturais, eis aqui um clássico. Devorei o livro rapidamente e gostei muito, real ou não a história é instigante e intrigante, a narrativa de Jay Anson é bem objetiva, sem rodeios e sensacionalismos, o que me agradou muito. Este é um livro classificado como Horror/Terror e faz jus a categoria, possui uma aura obscura e em alguns pontos é angustiante (e talvez até pavoroso) imaginar-se no lugar dos membros da família Lutz.

Como dito anteriormente, a obra serviu de inspiração para diversos filmes, caso alguém se interesse, estes são os títulos em inglês e o ano de lançamento de cada um: The Amityville Horror (1979); Amityville II: The Possession (1982); Amityville 3-D (1983); Amityville: The Evil Escapes (1989); The Amityville Curse (1990); Amityville: It’s About Time (1992); Amityville: A New Generation (1993); Amityville Dollhouse: Evil Never Dies (1996); The Amityville Horror (2005 – remake do clássico de 1979); Amityville: The Awakening (previsto para junho de 2017).

A DarkSide Books trouxe o livro em uma belíssima edição em capa dura, fita em cetim vermelho para marcar as páginas, as plantas da casa maldita estão no livro que possui páginas amareladas e uma excelente diagramação.


Nota :: 

Informações Técnicas do livro

Amityville
Ano: 2016
Páginas: 240
Editora: DarkSide Books
Sinopse (Skoob):
Depois de passar algumas décadas fechada, a propriedade no número 112 da Ocean Avenue no subúrbio de Nova York finalmente abre as portas para os leitores da DarkSide® Books. Cercada pela natureza, com janelas amplas e uma sacada espaçosa, ela poderia ser uma casa de bairro tranquila como todas as outras, não fosse seu passado devastador e sangrento. Em 1975, George e Kathleen Lutz resolveram recomeçar a vida em uma nova residência que compraram por uma pechincha. Vinte e oito dias depois, os cinco membros da família fugiram aterrorizados, deixando a maior parte de seus pertences para trás. Estranhos eventos começaram a acontecer, afetando a vida dos Lutz e indicando que uma presença maligna habitava a casa. Embora tenha sido amplamente divulgada pela mídia, em especial nos jornais e nas revistas da época, muitas vezes de maneira sensacionalista, a história da casa nunca havia sido contada com riqueza de detalhes — até Jay Anson decidir reconstruí-la e transformar seu livro de não-ficção em um dos relatos paranormais mais importantes e conhecidos de todos os tempos.
Baseado nas experiências sobrenaturais reportadas pelos Lutz durante o mês de dezembro de 1975 e o começo de janeiro de 1976, Amityville é um dos livros mais aguardados pelos leitores da Caveirinha. Por isso mesmo, muito mais do que dar apenas aquela demão de tinta, a DarkSide® Books vai fazer uma reforma completa na casa, apresentando a sombria construção em detalhes, do quarto secreto no porão às verdadeiras manchas nas portas e nas paredes escondidas pelas tintas do tempo — tudo exatamente como aconteceu, com todos as entidades e vozes que habitaram o sótão, o porão e demais cômodos da casa —, em uma edição assustadora e com o cuidado quase sobrenatural da editora mais dark do Brasil. Adaptada várias vezes para o cinema e contando também com diversos spin-offs, a história de Amityville hoje é amplamente conhecida e é considerada um dos mais importantes relatos sobre casas mal-assombradas da cultura popular.





“Nenhum homem poderia experimentar a profundidade de tal sentimento e permanecer imutável“.


Oiiiiiiiiiiiiii, serzinho lindo!  Como está? Feliz? Triste? Lendo pouco? Lendo muito?


“Começa sempre à noite. À noite eu alimento meus planos com escuridão. Se existe algo que eu possua em abundância é a escuridão. Ela é o chão onde florescerá o que quero cultivar.”


Oiii amigos lindos, como vocês estão? Minha resenha de hoje é sobre um livro que eu gostei muito de ter lido, e que faz parte de uma série de livros independentes, chamada "Os Elementos" de Brittainy C. Cherry. O livro de hoje é A Chama Dentro de Nós, sequência (independente) de O Ar Que Ele Respira (confira a resenha aqui). Então, vamos lá?   


“Um mal é um mal (...). Menor, maior, médio, tanto faz… As proporções são convencionadas e as fronteiras, imprecisas. Não sou um santo eremita e não pratiquei apenas o bem ao longo de minha vida. Mas, se me couber escolher entre dois males, prefiro abster-me por completo da escolha.”

“Abrir um livro é como abrir uma janela à liberdade.”